sábado, 9 de setembro de 2017

INTRARAIL: Um dia em Viana do Castelo

Alo!

Como o prometido é devido, hoje dou inicío à publicação da coletânia dos roteiros relativos ao intrarail que fiz de 1 a 7 de Setembro. Começo já por informar que andámos em terras Nortenhas, e começá-mos por Viana do Castelo

Os restantes destinos vou  dar a conhecer posteriormente e, por agora, apenas saberão que o Norte do país foi o eleito...só para vos aguçar a curiosidade e para me continuarem a acompanhar nesta jornada de Longest wing!

INTRARAIL: Dia 1


Tudo começou na frequentada estação de comboios do Oriente - Lisboa - pelas 09:39, daí rumámos à primeira paragem da aventura: Viana do Castelo, onde chegámos pelas 14:23.


Saímos da estação de Viana do Castelo e começámos por descer a longa e a mais central avenida da cidade, a Avenida dos Combatentes da Grande Guerra. Esta é repleta de comércio e restaurantes, é uma avenida cheia de vida e movimento que desemboca no passeio pedonal junto ao rio Lima.


Logo no momento em que chegámos ao fim da grande avenida fiquei surpresa com a beleza e o nítido potencial da cidade enquanto destino de férias. De certo modo, lembra as grandes cidades, como Lisboa e Porto, conjugando uma paisagem urbana mais histórica, neste caso com edificado típico do Norte, com uma natureza transposta no seu rio. Para além disso, olhando para trás visualizei um monte - monte de Sta Lúzia - sobre o qual pousa o emblemático Santuário de Sta Lúzia que seria, e foi, a nossa primeira paragem turística.

Contudo, obviamente que nada de passeios sem antes deixar os pesadelos das nossas mochilas na pousada da Juventude, isto porque, como mulheres fíeis ao sexo feminino que somos, não nos contentámos em levar só o essencial e levámos tudo o que eventualmente poderíamos precisar numa aventura (hmm...such an intellegent womens!).

Relativamente à pousada da Juventude de Viana do Castelo, a minha primeira impressão do exterior do edifício foi: "É razoável e a localização é boa!", mas o interior deixou-me espantada, está em excelente estado e a decoração é mesmo adequada ao conceito (super prática e juvenil). Além disso, a vista do nosso quarto era muito boa, para ponte Eiffiel sobre o rio Lima. Na traseira, a pousada apresentava um edificado próprio de uma zona urbana, com prédios de habitação mais altos. Apesar de não ser no centro histórico da cidade, fica a escassos 5 minutos a pé, uma  localização TOP na nossa opinião: não demasiado confuso, não demasiado sossegado.


De seguida sim, partimos à descoberta desta versátil cidade! Primeiro, como já tinha referido, visitámos o Santuário de Sta Lúzia. Subimos e descemos o monte de funicular, de custo 3€ para o bilhete ida e volta.




O Santuário de Sta Lúzia é simplesmente LINDO! Podem até subir ao zimbório desta construção altiva por 1€/pessoa e usufruir de uma vista brutal sobre a cidade, fiz e recomendo. À luz de uma paisagem encantadora, mais uma vez, apercebi-me da versatilidade e diversidade local de Viana do Castelo: montanha, cidade e praia conjugam-se numa combinação perfeitamente equilibrada e absolutamente divinal. 


Ainda no Santuário, podem tirar uma fotografia de negativos, que inicialmente nos pareceu demasiado cara - 5€ - contudo, apercebemo-nos rapidamente da trabalheira que dá e acabámos por tirar uma! Para além disso, o Sr. que nos tirou a fotografia já tinha uma certa idade e foi extremamente querido ao dizer-nos para ajeitarmos o cabelo e os óculos para que o resultado final fosse o melhor possível, ficámos encantadas com o serviço impecável!



De volta ao centro da cidade, passeámos pelas suas ruas embelezadas com canteiros de flores e/ou árvores verdejantes, percorridas por edifícios nem muito altos, nem muito baixos, todos seguidinhos, bem ao estilo do Norte. Visitámos a Sé Catedral de Viana que me desiludiu pelo facto das suas paredes internas, teto e copa serem pintadas e não esculpidas. Ainda no centro histórico, passeámos pela Praça da República que numa das suas extremidades apresenta o museu do Traje de Viana do Castelo.


Voltámos à pousada para reconfortar as nossas refilonas barrigas com um belo manjar e a caminho disfrutámos de um belo fim de tarde pelo passeio marítimo.





Por fim, à noite fomos dar uma voltinha por Viana do Castelo vencendo todo o cansaço do dia e, mais uma vez, usufruimos da encantadora paisagem sobre o rio Lima, mas desta vez ao som da música dos D.A.M.A, que não sabíamos até ao dia, mas que estavam pela cidade e tocavam essa noite no centro cultural de Viana do Castelo perto do rio. Foi uma noite agradável e à seia ainda comemos uns docinhos tradicionais: os Sidónios, se forem adeptos de doces não passem nesta cidade sem provar esta iguaria! As amigas gulosas provoram e aprovaram eheh


INTRARAIL: Dia 2

Neste dia acordámos bem cedo, tomámos o pequeno-almoço da pousada, um pequeno-almoço razoável em qualidade e variedade "que satisfaz", e apressámo-nos para fazer o check-out. Voltámos ao centro histórico da cidade já de mochilas às costas e visitámos o Navio Gil Eanes - 4€/pessoa - que em tempos foi o navio-hospital e que nos surpreendeu muito pela positiva, é incrível a quantidade de divisões que um navio não tão grande assim comporta! Este encontra-se fixado no Largo Infante Dom Henriques, nas proximidades do centro cultural de Viana do Castelo e do rio Lima.





Para concluir e após esta breve visita, pelas 12h30 apanhámos o comboio em direção à segunda paragem do intrarail.

Já foram a Viana do Castelo? Curiosos para saber qual a próxima paragem desta aventura?

xoxo,
Lua