quinta-feira, 14 de setembro de 2017

INTRARAIL: Dois dias em Braga, 2º Dia


Alo!

Na minha aventura de Verão que, para os recém-chegados e para os mais distraídos, foi um Intrarail pelo Norte de Portugal passei dois dias em Braga, como já tinha referido aqui. Mas na publicação anterior apenas vos falei do 1º Dia! E o 2º Dia foi desprezado? Bem não, nada disso...esta opção de dividir Braga em dois foi para não vos cansar muito, sendo que uma aventura requer peripécias e outras coisas mais que tornariam um post de dois dias too much para qualquer leitor.

INTRARAIL: Dia 3


Um longo dia mais uma girls night no Festival da Noite Branca só podia resultar numa manhã de sornice! ahah
Com isto, e compreensivelmente, só estávamos todas de pé e despertas para enfrentar um novo dia da nossa aventura às 11:00.


Depois do pequeno-almoço, rumámos às Sete Fontes de Braga e chegar até elas foi a nossa grande peripécia de toda a viagem. Eu imaginava que as Sete Fontes era um ponto turístico, mas um ponto tipo um local bem sinalizado: NÃO, estava redondamente enganada! Basicamente esta atração turística é um trilho por mata ao longo do qual podemos encontrar sete fontes de água.



Mas agora perguntam-me vocês onde está o obstáculo, a grande peripécia da aventura? Está em tentar chegar a esta atração turística por mata, desbravar propriedade privada e tentar parar carros de forma a obtermos alguma informação, pelo menos uma palavrinha, relativa ao caminho não por estrada de alcatrão até ao destino (sem sucesso!). E claro, como não podia faltar durante a nossa investigação, surgiu uma mascote pelo caminho, no nosso caso um cãozinho muito simpático chamado Carvão, o nosso pack leader. Apesar da demora, conseguímos percorrer o trilho das Sete Fontes sem riscarmos os restantes planos para este dia, tão soalheiro e agradável para passear.




Em seguida, demos um passeio pela cidade de Braga passando por alguns pontos turísticos que ainda não tinhamos tido a oportunidade de ver tão de perto, como a Igreja de Santa Cruz, o Palácio de Raio e a Igreja do Hospital de São Marcos, entre outros. Parámos pelo Jardim de Sta Bárbara, onde se encontra o Paço Arcebispal dos Braganças, e lá degustámos, sim, porque especialmente as minhas companheiras de viagem são umas foodies do mundo da doçura, um dos doces típicos de Braga: as Tíbias.






Do centro da cidade, deslocámo-nos para a Avenida da Liberdade, onde apanhámos o autocarro 23 às 18:00, rumo ao Santuário do Sameiro. Braga é claramente a cidade dos Santuários! Fiquei fascinada com o Bom Jesus, mas devo dizer que o Sameiro me deixou igualmente deslumbrada!! Uma paisagem arrebatadora e o próprio Santuário tão imponente e tão poderadamente construído, com uma arquitetura tão clean e apropriada ao ambiente em que se insere que encanta. Só tenho uma coisa a apontar, o vento, eu sou uma pessoa naturalmente BASTANTE friorenta, mas todas concordámos que estava um vento frio e a mim enrregelou-me até aos ossos.













Depois de um dia tão preenchido não se esperaria outra coisa que não estarmos todas, sem exceção, cansadas e sonolentas. Desta forma, decidimos não dar um passeio por Braga nessa noite e ficámos pela pousada da Juventude. Eu e algumas chegámos à pousada apenas pelas 21:00, após irmos às compras, e até apanhamos chuva no caminho!! Depois do jantar, eu e uma outra aventureira ainda jogámos uma partida snoker na pousada, mas não demorou muito até que estivéssemos todas no conforto dos lençóis para que na manhã seguinte a alvorada não fosse tão penosa, pois a terceira paragem da aventura esperava por nós!


É importante ainda referir que nos autocarros em Braga o bilhete tem uma validade de 1:30, o que é ótimo! Nós conseguímos usufruir desta facilidade nas viagens, de ida e volta, para o Santuário do Sameiro, para o qual o custo do bilhete foi de 2€ (preço normal de apenas um bilhete, de ida ou de volta).

Acharam bem a divisão desta paragem em dois? A avaliação final de Braga na nossa opinião foi MEGA positiva, e na vossa?

xoxo,
Lua